Quem está Online

Temos 10 visitantes em linha
2-A
1-A
FUMITUELA TELA-4

O jovem escritor de Quadra (Vinhais), Vítor Alves Morais, acaba de lançar o seu segundo livro, intitulado "O Cantar das Vinhas”, numa edição com o selo Vieira da Silva.
A apresentação decorreu no auditório Municipal de Vinhais e no Museu Abade de Baçal, em Bragança, sempre com uma adesão significativa da parte do público.
“O Cantar das Vinhas” retrata a história de uma família do início do século XX, que vive na sombra de uma maldição que o povo faz questão de relembrar a todo o instante.
Aos 18 anos, Vítor Alves Morais revela que pretende ir ainda mais além. “Já estou a meio da minha terceira obra, desta vez com um enredo mais real, embora fictício, que relata a vida de uma senhora com Alzheimer”, explicou o escritor.

 

Jornal Nordeste

As dificuldades financeiras das autarquias que vão ser criadas pela nova Lei das Finanças Locais podem abrir a porta ao processo de agregação de municípios.
Alguns autarcas do distrito temem que isso possa vir a acontecer. “Se esta situação de desvantagem dos pequenos municípios não for tida em conta a sua situação financeira vai ficar muito débil e isso pode ser um argumento para o Governo dizer que eles não são sustentáveis e por isso devem ser agregados”, refere a presidente da Câmara de Alfândega da Fé, Berta Nunes, acrescentando que “isto é uma falácia, mas pode estar a acontecer e preocupa-me”.
A partir de 2014, as câmaras municipais vão receber menos 25% das transferências do Estado. O Fundo de Equilíbrio Financeiro vai distribuir apenas 18,5% da receita resultante do IRS, IVA e IRC. Se as intenções do Governo avançarem, a principal fonte de financiamento das autarquias locais vai sofrer uma redução significativa a partir do próximo ano.
“Quem é que pode estar satisfeito quando lhe tiram aquilo a que tem direito?”, questiona o presidente da Câmara de Carrazeda de Ansiães. 
A nova lei prevê ainda a retirada de parte da receita do Imposto Municipal sobre Imóveis e a sua integração no Fundo de Apoio Municipal, que o Governo pretende criar para socorrer os municípios em dificuldades. O autarca de Vinhais diz que desta forma se vão beneficiar os infractores. “Há câmaras municipais que se endividaram para fazer obras que fazem falta à população, mas também há câmaras que gastaram o dinheiro dos contribuintes em foguetórios e pimbalhadas”, afirma Américo Pereira. Para o vice-presidente da câmara de Vimioso esta nova lei é uma machadada no poder local. “Não faz sentido que o Estado queira imiscuir-se na gestão política e financeiras das autarquias quando elas têm autonomia consagrada na constituição”, garante Jorge Fidalgo.
3-Cartaz-RuralCastanea-2013
1--Feira-castanha

O Moncorvo e o Vinhais garantiram esta tarde a presença na final deste ano da Taça da AF Bragança. Os moncorvenses voltaram a ganhar ao Bragança B, agora por 2-1, depois da vitória na primeira mão, por 1-0. Já os vinhaenses, que defrontavam os detentores do troféu, o Rebordelo, perderam por 1-0, mas valeram-se do resultado da primeira mão (2-0). A final deverá ser disputada dentro de duas semanas. Na II Divisão, o Chaves regressou à II Liga, enquanto o Mirandela, que liderou grande parte do campeonato, voltou a empatar, agora em casa, com o Infesta (1-1) e ficou na terceira posição. Na III Divisão, o Bragança, que jogou ontem à noite, derrotou o Marinhas, por 1-0, e regressou ao comando da Série A, aproveitando o deslize do Santa Maria, em Viana do Castelo.

Mensageiro de Bragança

Edição de 26-02-2013
Mais de 200 pessoas marcaram presença, no passado sábado, no concerto solidário integrado no projecto “Um Sorriso para Timor”, apadrinhado pelo Agrupamento de Escolas D. Afonso III de Vinhais.
A entrada para assistir ao concerto da Banda Filarmónica de Bragança no Centro de Arte Contemporânea Graça Morais era gratuita, mas o público foi convidado a contribuir com um brinquedo ou um livro infantil.
O director do Agrupamento de Escolas de Vinhais, Rui Correia, diz que o objectivo é conseguir encher um contentor de material para as crianças timorenses até ao final de Março.
“Esperamos enviar um contentor de livros e brinquedos para Timor ao longo desta campanha. Esse envio será da responsabilidade da Câmara de Vinhais, que também é nossa parceira neste projecto”, enaltece o responsável.
Helena Gonçalves foi a mentora deste projecto. A Educadora de Infância esteve seis meses a trabalhar com as crianças timorenses e assistiu de perto às necessidades deste povo. “Quando eu falava sobre aquilo que tinha vivido com as crianças em Timor e explicava como é que elas brincavam, o que comiam, as minhas crianças ficavam admiradas e diziam se elas não têm nós damos. E eu achei a ideia fabulosa e apresentei a ideia ao meu agrupamento que a acolheu de imediato”, enaltece a Educadora.
A campanha solidária vai continuar até ao final de Março. O objectivo é contribuir para distribuir sorrisos nas escolas de Timor.

Jornal Nordeste

As Freguesias de Vinhais